top of page

Vinícius Júnior do Real Madrid, irá liderar o novo comitê de combate ao racismo da FIFA!

Na manhã desta Quinta-Feira,(15/06), foi revelado que o talentoso atacante brasileiro Vinícius Júnior, do Real Madrid, assumirá um papel de destaque no enfrentamento do racismo no futebol. A notícia foi divulgada durante uma entrevista do presidente da FIFA, Gianni Infantino, à agência Reuters.

A FIFA está lançando uma nova iniciativa global com o objetivo de combater o racismo de forma mais efetiva no esporte. Vinícius Júnior foi selecionado para liderar essa importante empreitada, que permitirá aos jogadores contribuirem com ideias e sugestões para aprimorar as medidas punitivas relacionadas a incidentes de exclusão racial no futebol.


"Escolhemos Vinícius Júnior para liderar esse grupo de jogadores que apresentarão punições mais rigorosas e eficazes contra o racismo, que posteriormente serão assumidos por todas as autoridades do futebol ao redor do mundo", declarou Infantino.


Embora não tenham sido divulgados detalhes sobre a criação e o início das atividades desse novo comitê, é evidente que a FIFA está comprometida em estabelecer um protocolo claro e abrangente para lidar com casos de racismo. Infantino ressaltou a importância de uma ação enérgica e imediata, afirmando categoricamente que "não haverá tolerância ao racismo no futebol". Ele enfatizou que os jogos devem ser interrompidos imediatamente diante de qualquer manifestação discriminatória, demonstrando a posição firme da FIFA em relação a esse assunto crucial.

Infantino revelou que se encontrou pessoalmente com Vinícius Júnior para discutir a criação dessa iniciativa e expressou sua confiança na liderança e influência do jogador brasileiro nesse papel importante. Até o momento, Vinícius Júnior não se pronunciou publicamente sobre o convite, mas espera-se que sua nomeação inspire outros jogadores e promova um avanço significativo na erradicação do racismo nos campos de futebol, confiante para a promoção da igualdade e inclusão no esporte.


(Foto/Reprodução: Google)

(Texto: Pedro Aragão)


Comments


bottom of page